9 de jan de 2011

Crítica: Tron - O Legado

Nota: 6
Nota IMDb: 7.4
País: EUA
Ano: 2010
Duração: 127 mim
Diretor: Joseph Kosinski

Sobre: Sam Flynn (Garrett Hedlund), o filho de 27 anos de Kevin Flyn (Jeff Bridges), pesquisa sobre o desaparecimento de seu pai e acaba sendo sugado para o mesmo mundo de programas ferozes e jogos "gladiatoriais" no qual seu pai vive há 25 anos. Junto da fiel confidente de Kevin (Olivia Wilde), pai e filho embarcam em uma jornada de vida ou morte por um universo cibernético que se tornou muito mais avançado e perigoso.


A verdade é que esse é um daqueles filmes que tinha tudo pra ficar muito bom e no final ficou fraco.

Tem uma boa fotografia e uma excelente trilha sonora, mas os personagens são rasos e em momento algum o filme consegue criar alguma expectativa... tudo muito previsível.

Monótono, e eu não sei se por culpa do diretor mas a atuação do Garrett Hedlund (Sam Fynn) em companhia de Olivia Wilde (Quorra), não passam de uma grande bosta, deve ser por que nada sobre os protagonistas tem alguma profundidade.

Ainda assim a trama se atreve a tratar de algumas questões mais filosóficas, pra variar, sem profundidade.

É melhor ouvir a trilha sonora.

Um comentário:

  1. Adivinhou meus pensamentos... já fiz um poste sobre a música do filme...

    ResponderExcluir