5 de fev de 2011

Curtas: Baseados em Half Life

Eu vou postar só dois dos vários vídeos baseados no jogo, porque o resto que eu encontrei são todos uma porcaria!
__________________________________________________________________________________

Título: What's in the box?
Nota: ++++
País: Holanda
Ano: 2009
Duração: 9 min
Orçamento: US$ 200,00
Diretor: Tim Smit

Sobre: Um homem acorda desorientado num laboratório em ruínas em meio a um tipo de invasão à cidade que ele se encontra. Aparentemente a única coisa que pode salvá-lo dessa situação é uma caixa preta, mas também ela é o motivo dele estar sendo perseguido.

A história desse curta é muito vaga, mas o clima que o estilo de filmagem proporciona é perfeito! Sempre em primeira pessoa ao melhor estilo Half Life.


Por incrível que pareça, o diretor é um professor de nanotecnologia da Universidade de Nijimegen que fica na Holanda e ele fez o curta apenas para testar suas habilidades com os softwares 3D. E que teste! Tanto que ele nem se preocupou com falas, apenas ação.


Obs.: Como ele tem muitos traços de Half Life 2, na estréia do curta os internautas pensavam ser uma homenagem ou jogada de marketing da Valve Software (empresa que criou Half-Life). Mas o jogo foi apenas uma inspiração dentre muitas outras.

__________________________________________________________________________________

Título: Beyond Black Mesa
Nota: +++++
País: EUA
Ano: 2011
Duração: 12 min
Orçamento: US$ 1200,00
Diretor: Brian Curtin

Sobre: Adrian Shephard e um grupo de combatentes da resistência que estão fora de Black Mesa lutam por suas vidas e para informar ao mundo da invasão iminente.

Este sim é fiel aos personagens e história do jogo. Um curta completamente independente, pois desde a trilha até os elementos artísticos foram de autoria dos idealizadores (ao contrário do curta acima que utilizou alguns trechos das trilhas de Jurassic Park e Lost). Não achei as cenas de ação bem elaboradas e poderia ter dado nota três, mas a qualidade no geral e o fato de ser um produto completamente independente me força a dar pontuação máxima.


Pena que aqui no Brasil o cenário independente para produções de ficção só tenha palhaços do naipe de Ademir de Paula que só faz porcaria e não reconhece suas cagadas para melhorar, mas pelo menos se percebe que a sétima arte não está 100% nas mãos daquela academia de bosta que a gente sabe muito bem qual é. O cenário independente é forte e tem qualidade!


Um comentário:

  1. particularmente não vejo problema algum no cara ter usado umas partes da trilha de lost ou jurassic park, é nessa preocupação de ser 100% original que hoje em dia muita gente produz muito lixo, mas também é verdade que quando acertam... foi 100% de acerto

    ResponderExcluir