8 de out de 2010

Crítica: L'immortel (22 Bullets)

Nota: 8
Nota IMDb: 6.6
País: França
Ano: 2010
Gênero: Ação
Duração: 115 mim
Diretor: Richard Berry

Sobre: Depois de anos vivendo fora da lei, Charly Mattei (Jean Reno), resolveu nos últimos três anos se dedicar a família e viver harmoniosamente com sua esposa e seus dois filhos pequenos. No entanto, em uma manhã de inverno ele é encontrado em um estacionamento com 22 balas no corpo e apesar de muitos acreditarem que ele havia morrido, Charly misteriosamente sobrevive. Agora ele sai à caça de Tony Zacchia (Kad Merad), o único homem que se atreveria a tentar matá-lo.



Quem já assistiu com certeza deve estar achando que eu super-avaliei o filme, afinal no IMDb a nota é bem diferente. Foi exatamente o que fiz. Depois que a gente se acostuma com o formato Holywodiano de filmes de ação acredito que são filmes como esse que servem pra gente sair do clichê daquele tiro de pistola calibre 22 que derruba um F-16 (mesmo sendo um caça feito pra suportar um combate aéreo contra outros caças), ou do velho tiro no tanque de combustível que é quase uma bomba de hidrogênio ou ainda do ator principal que no quesito bufete (porrada) sempre tem que parecer o máximo possível com um Bruce Lee. O filme é rápido e agradou muito justamente por isso que afirmei acima, cenas de violência com lutas sem hadouken ou estilo gafanhoto no kung Fu. Some a isso os mesmos produtores de Taken (busca implacável = ação sem frescura). Ainda tem uma coisa a mais, o fuderoso, genial, sem graça, tronxo e sem expressões do Jean Reno é o ator principal do filme, e eu sou fã desse cara. Podia ser Jean Reno em: 22 Bullets; Jean Reno em: O Profissional; Jean Reno em: Godzila e por aí vai.



Ps: Fiz alguns posts e esqueci de saudar meu colega ultra jovem que vai livrar vocês da monotonia deste velho e balancear o blog. Cuidarei sim da parte mais arcaica do cinema, com o maior orgulho... e deixarei Crepúsculo e coisas congêneres com ele.
Ps²: Não esqueci de saudar meu colega que veio do Disney Club, Blu-ray.
Ps³: Vou continuar sem faze-lo.

Um comentário: